728x90 AdSpace

Notícias
25 de abril de 2015

Sobrecarga sensorial


Tina Pringle foi diagnosticada com fibromialgia há 16 anos. Diz que os seus sintomas de fibromialgia são, às vezes, angustiantes. "Todos os sintomas se fundem e, junto com a fadiga e o nevoeiro cerebral, tudo se converte num labirinto de pura confusão", explica. Esta inglesa diz que o oftalmologista identificou a sensibilidade à luz que ela sente mas, o que a incomoda mais, é a sensibilidade ao ruído. "Uma criança a chorar, música alta, cães a ladrar, sons agudos, tudo é um problema. Os ruídos ressoam na minha cabeça como um prato a cair ao chão e todo o meu corpo fica tenso." Como a tensão muscular aumenta, também aumenta a dor da fibromialgia e ela precisa de se refugiar num quarto sem luz para conseguir relaxar.

Uma sobrecarga sensorial ocorre quando um ou mais dos nossos sentidos sofre um excesso de estimulação do meio ambiente. Existem muitos elementos ambientais que causam impacto em cada indivíduo. Exemplos desses elementos são: o ruído, os meios de comunicação, a urbanização, a sobrelotação, a tecnologia e o crescimento explosivo da informação. 
A sobrecarga sensorial está associada ao transtorno do processamento dos sentidos. O contrário de sobrecarga será a privação sensorial.

O sociólogo Georg Simmel, em 1900, contribuiu para a descrição da sobrecarga sensorial, concluindo que a vida urbana, cheia de estímulos em diferentes cenários faz com que o nosso sistema nervoso sinta emoções. A desvantagem é que, uma exposição excessiva a estes estímulos acaba por esgotar a energia do nosso corpo. Ao ter pouca energia para reagir a novas situações a mentalidade de um indivíduo pode mudar, ou seja, a reacção a novos estímulos será diferente quando alguém sente sobrecarga sensorial ou não.

Em pessoas com fibromialgia é comum a sensibilidade à luz brilhante, seja natural ou artificial, aos sons e ao tacto, seja pelo toque de alguém ou pelo simples roçar das roupas que se vestem.


O que se passa dentro da sua cabeça?

Esta sensibilidade pode ser muito difícil de entender tanto para o próprio como para as pessoas mais próximas. As sensações desagradáveis e dolorosas da fibromialgia podem ser parte da forma anormal como o cérebro processa a dor, sugere o investigador Benjamim Natelson, professor de Neurologia na Faculdade Albert Einstein de Medicina, em Nova Iorque e autor do livro "Os seus sintomas são reais: o que fazer quando o médico lhe diz que tudo está bem."

Num estudo publicado nos "Arquivos de Medicina Física e Reabilitação", compararam e analisaram as informações transmitidas por mulheres com artrite reumatóide, mulheres com fibromialgia e mulheres sem qualquer síndrome de dor. Os resultados indicaram que as mulheres com fibromialgia eram muito mais propensas a queixar-se de intensas respostas desagradáveis aos sons, aromas, sabores e sensações tácteis.

Outro estudo, publicado na revista "Pain Research and Treatment", sugere que as mudanças na química cerebral das pessoas com fibromialgia, podem estar ligadas à sensibilidade aos estímulos ao som e ao aroma. Os exames de imagiologia revelaram representações visuais desta resposta alterada às sensações. Em alguns aspectos, os cérebros das pessoas com fibromialgia podem ser hipersensíveis ao equilibrar a possibilidade de dor ou mal-estar, refere o Dr. Natelson.

Sensibilidade à luz - fotofobia

É muito comum, mesmo em pessoas sãs. Quem sofre de fibromialgia vai sentir esta sensibilidade, mais tarde ou mais cedo. É sempre importante descartar alguma doença com uma ida ao oftalmologista.
A forma mais fácil de entender esta sensibilidade é pensar no efeito da luz em quem tem uma enxaqueca. É possível sentir dor, como uma agulha, perante o brilho do televisor, uma luz mais brilhante ou um céu muito claro. 

Truques fibro:
  • As pessoas com fibromialgia aprendem a evitar a luz solar seja com óculos escuros, chapéus ou apenas baixando ligeiramente o olhar ou semicerrando os olhos.
  • Evite ter o televisor ligado, ou o écran do computador com demasiado brilho.
  • Em casa mantenha uma iluminação agradável, confortável, com algumas lâmpadas com menor intensidade ou protegidas ou ainda com focos que possam mudar de posição.
  • Cada um acabará por encontrar as suas próprias soluções.

Sensibilidade ao ruído - hiperacusia

Definição: percepção auditiva elevada, que pode provocar dor na audição de certos sons.
É muito incomodativa, como se a pessoa se convertesse numa caixa de ressonância onde cada ruído ou som incomoda como se, de repente, tivesse desaparecido algum tipo de protecção. Como explicar isto?
Em casa, os ruídos do quotidiano parecem mais fortes do que é normal, como o som de pratos e talheres, o rádio com o volume mais alto, um secador de cabelo (quando usado por outra pessoa, por incrível que pareça), aspirador, gritos de crianças, qualquer tipo de discussão, etc. Na rua, as buzinas, o som de um travar repentino, motas, etc. Bastante piores são os ruídos que se sentem em ambientes fechados com em discotecas ou numa reunião familiar ou, até, no trabalho. A intolerância ao ruído, mesmo quando não o sentimos, pode mudar a vida de uma pessoa. Por exemplo, fazendo abandonar certas actividades ou reuniões sociais. Nas idas ao supermercado a pessoa adapta-se e não sente incómodo; de repente, num dia qualquer, os ruídos familiares deixam de o ser, fica-se em estado de 'alerta', todos os sons se amplificam e só apetece sair dali. 

Truques fibro:
  • Consulte um otorrinolaringologista, talvez a sensibilidade tenha outra causa. Se não houver, o médico vai, provavelmente, aconselhar que evite os sons que o incomodem.
  • Melhore a higiene do sono. Não dormir bem faz com que as diferentes sensibilidades se intensifiquem. Quando tiver uma noite agitada, evite os ruídos durante esse dia em particular.
  • Podem usar-se tampões para proteger os ouvidos, mas não são aconselháveis. Devem servir apenas para protecção em momentos específicos.
  • Tente gerir melhor o stress. Este é um conselho difícil de seguir para uma pessoa com fibromialgia, no entanto, deve saber que o stress influencia as sensibilidades.

Sensibilidade ao tacto - alodinia

Muito difícil de explicar mas muito conhecida por todos os fibromiálgicos, que são hipersensíveis ao contacto. Um simples aperto de mão, um toque, podem causar dor como se a pessoa estivesse com hematomas da cabeça aos pés. Esta hipersensibilidade pode durar um dia ou um período mais longo. O sentido do tacto sente-se na pele, orgão no qual se encontram diferentes tipos de receptores nervosos que se encarregam de transformar os variados tipos de estímulos do exterior em informação susceptível de ser interpretada pelo cérebro. A alodinia é uma disfunção da actividade cerebral que se manifesta como uma sensação de dor quando, normalmente, o estímulo não é doloroso.

Truques fibro:
  • Ainda que este seja um problema muito aborrecido tente levar isto com calma e sentido de humor.
  • Mais importante do que tudo é procurar oxigenar o corpo o melhor possível, isso só pode ajudar a função cerebral que, no fundo, é o que controla todos os nossos problemas.
  • Banho turco, jacuzzi e tratamentos termais ajudam imenso para diminuir a dor.


Sensibilidade aos cheiros - hiperosmia

A fibromialgia pode fazer com que, não só se tenha mais sensibilidade aos maus cheiros, mas também a aromas comuns.
Algumas das pessoas apresentam Sensisibilidade Química Múltipla que é uma doença em que se gera uma resposta anormal face a numerosos agentes químicos.
As pessoas com fibromialgia podem sentir enjoos, dor, dor de cabeça, de estômago ou de garganta quando fazem actividades banais como tomar banho (porque se usam vários produtos com diferentes aromas - gel de banho, shampoo, creme hidratante, etc.), caminhar pelos corredores de um supermercado (principalmente os de produtos de higiene e limpeza), ao limpar a casa, meter combustível no automóvel, ao sentir certos perfumes, etcetera.



A sobrecarga sensorial pode estar associada a alguns problemas de saúde como:
  • Fibromialgia
  • Síndrome de Fadiga Crónica
  • Transtorno de stress pós-traumático
  • Transtorno de ansiedade generalizada
  • Síndrome de Asperger
  • Transtornos do espectro autista 

    A sobrecarga sensorial acontece nas pessoas com autismo, o que pode tornar difícil a permanência em sítios com muita gente como o centro comercial, hipermercados ou festivais. Nota-se quando um ou mais dos 5 sentidos sentem demasiada estimulação de factores ambientais. Em face de uma sobrecarga a reacção é de "luta ou fuga"; quer dizer, ou se tem uma explosão de ira ou o cérebro "pára" porque se sente sobrecarregado.

    Os 2 vídeos seguintes foram feitos por dois adultos autistas que assim tentaram explicar o que sentem. O que sente uma pessoa com fibromialgia é semelhante mas não tão grave.





    • Comentários no Blog
    • Comentários no Facebook

    3 comentários:

    1. ter fibromialgia é como se estivesse num calvario, cheio de quedas e subidas o melhor que nas quedas nas dores jesus esta conosco e o pior é a critica, o olhar duvidoso a sensação de estar so, lembro-me de jesus no monte ...e a certeza que ele é maior que tudo isso.

      ResponderEliminar
    2. Muito complicado pra mim a parte da manhã mta dificuldade em me erguer. Só fico melhor só entardecer durante toda manhã sinto enjôo e um desânimo enorme. Não estou conseguindo lhe dar com estes estados. O que fazer?

      ResponderEliminar
    3. Me sinto viva pela manhã
      Adoro o amanhecer e ver mais um dia começar,não ligo muito prqz

      ResponderEliminar

    Item Reviewed: Sobrecarga sensorial Rating: 5 Reviewed By: Fibromialgia em PT